10 incentivos laborais implementados por grandes empresas


Algumas empresas apostam em incentivos económicos que se traduzem em prémios extra ou a introdução de um sistema de  retribuição variável, ou seja, associar os ganhos em dinheiro dos trabalhadores ao seu rendimento. Deste modo, a recompensa não é unicamente monetária, mas sim uma troca justa do tempo e do esforço do funcionário para melhorar os resultados da empresa, que, ao mesmo tempo, o torna um participante dos seus sucessos.

Outras optam por incentivos mais fáceis de implementar, como  reconhecer os sucessos, integrar a formação e outras atividades que tenham repercussão nas suas expetativas para o futuro, trabalhar na criação de um bom ambiente de trabalho ou permitir o trabalho à distância.

E depois há as empresas que não têm medo de conceder verbas à sua política de incentivos laborais. O que fazem?

Aqui estão os 10 melhores incentivos no trabalho, segundo uma infografia publicada recentemente no blogue “TICs y Formación”:

– Flexibilidade de horário: os funcionários podem trabalhar quando estão mais predispostos e ainda dispor de tempo para assuntos ou negócios pessoais, o que é uma importante injeção de motivação. A Netflix aposta na flexibilidade e dá liberdade aos seus colaboradores, pelo que não existe um controlo das horas dedicadas ao trabalho, sendo que as férias podem também ser negociadas, dependendo da função do colaborador.

– Tempo livre remunerado: umas férias para uma família de quatro pessoas custam, em média, 4.235 euros, que é sempre um fonte de preocupação para muitas pessoas. Quando a empresa assume esse custo, estes desfrutam da viagem e, depois, regressam com as baterias recarregadas e prontos para trabalhar, bastante mais felizes e gratos. A empresa especializada em SEO MOZ,  Mattel  oferece essa vantagem aos seus colaboradores, ainda que de uma maneira um pouco diferente. A Moz oferece um bónus de 2.000 euros de forma a ajudar nas despesas da viagem e os funcionários da Mattel podem usufruir de 16 horas de trabalho remuneradas para participar nos eventos escolares dos seus filhos.

– Excursões corporativas: as atividades em grupo realizadas fora do escritório permitem aos colaboradores adquirir novas capacidades, conhecer novas pessoas e satisfazer o seu desejo de viajar. Todos os anos, os funcionários da Black Mountain Systems  fazem aquilo a que eles chamam um “retiro exótico”. O destino deste ano? México. A Yahoo, em contrapartida, opta por algo mais local e realiza atividades diversas como churrascos ou idas a concertos em equipa.

– Alimentação: quando as necessidades básicas de uma pessoa são satisfeitas no local de trabalho, é mais provável que fiquem no escritório em vez de se aventurarem por aí à procura do almoço. Além disso, os aperitivos saudáveis aumentam a sua energia e a produtividade. Na Google, os funcionários nunca estão a mais de 200 metros de comida gratuita e a Institute for Integrative Nutrition vai mais além , disponibilizando um chef profissional à sua equipa.

– Presentes e serviços: presentes como bilhetes para eventos culturais ou um serviço de limpeza doméstica são apreciados. Na Evernote os funcionários dispõem de um serviço bimensal de limpeza doméstica e na Johnson and Johnson dispõem de um serviço de assistência pessoal ao seu dispor para realizar recados pessoais ou até para fazer fila nos concertos para os quais é quase impossível conseguir um bilhete.

– Programas de saúde: nos Estados Unidos, as empresas pagam anualmente 2,2 mil milhões de dólares em despesas de saúde. Implementar programas de saúde reduz essas despesas e fomenta um laço mais forte entre a equipa de trabalho que faz desporto em conjunto. Os funcionários a tempo parcial da Starbucks têm acesso a um seguro médico e a empresa Clif Bar oferece 2,5 horas de ginásio pago e um prémio de 350 dólares para quem competir em corridas profissionais.

– Cuidado da saúde emocional: 1 em cada 2 americanos terá de lidar com uma importante crise emocional em algum momento da sua vida. Os programas de saúde das empresas ajudam os seus funcionários a encará-los, em vez de converter o trabalho num peso para o funcionário num momento tão complicado para ele. O programa de assistência ao funcionário da UPS, por exemplo, oferece ajuda a quem luta com a ansiedade, seja de infância ou até mesmo relacionada com o luto. Já na ALOHA, têm acesso a conselheiros online especializados em problemas de saúde mental.

– Teletrabalho: de acordo com os últimos dados, 36% dos trabalhadores preferiam poder trabalhar a partir de casa a receber um salário mais elevado. Além disso, o trabalho à distância faz poupar o tempo e o dinheiro que se gasta nas deslocações para o local de trabalho. Quase metade dos 21.000 funcionários da Motorola trabalha a partir de casa e na General Mills os colaboradores podem trabalhar a partir de qualquer lugar da sua sede corporativa, apesar de preferirem trabalhar a partir de casa.

– Cuidar das crianças: um cidadão americano investe, em média, 11.666 dólares no cuidado dos filhos. Os programas de cuidado infantil oferecidos pelas empresas reduzem o stress dos pais mediante a compensação dessa despesa, o que os torna mais produtivos no seu trabalho. O Facebook oferece aos novos pais quatro meses de férias remuneradas, o reembolso do custo do infantário e os honorários de uma adoção. Para alén disso oferece-lhes ainda 4.000 dólares em cartão “baby cash”. Já a Cisco disponibiliza dois infantários no campus de San José, na Califórnia, onde os pais podem deixar seus filhos.

– Entretenimento: o entretenimento e os animais domésticos no local de trabalho permitem socializar e criar laços, criando uma relação positiva sem que os projetos do trabalho nem outros temas, como, por exemplo a política, interfiram. As empresas Dropbox e Zynga apostam em entreter e divertir os seus colaboradores. A primeira dispõe de um estúdio de música, de uma sala de jogos e de uma atividade semanal chamada Whiskey Fridays, onde as bebidas são por conta da empresa. A empresa Zynga, em contrapartida, põe o álcool de lado e foca-se nos jogos e na prática de desporto com várias salas de jogos e campos de basquetebol para descontrair os seus funcionários, e afastar as suas preocupações com o suor.

Se ficaram com curiosidade em conhecer outros incentivos impactantes e divertidos, ficam aqui outros links que podem ser do vosso interesse: Is This Real Life? e 12 tech companies that offer their employees the coolest perks.

Receba todas as notícias acerca da People First